JavaScript must be enabled in order for you to see "WP Copy Data Protect" effect. However, it seems JavaScript is either disabled or not supported by your browser. To see full result of "WP Copy Data Protector", enable JavaScript by changing your browser options, then try again.

«

Out 13 2017

Imprimir Artigo

Azeitão Inclusivo nº18 – PASCALE MILLECAMPS, A MISSÃO INCLUSIVA DE UMA AZEITONENSE DE CORAÇÃO

Azeitao_Inclusivo Logo

A imagem Ilustra a publicação, do número 18 da rubrica "Azeitão Inclusivo", na edição de Outubro de 2017 do Jornal de Azeitão

A imagem Ilustra a publicação, do número 18 da rubrica “Azeitão Inclusivo”, na edição de Outubro de 2017 do Jornal de Azeitão

Divulgamos aqui o número 18 da rubrica “AZEITÃO INCLUSIVO” ,publicado na edição impressa do Jornal de Azeitão de Outubro  de 2017, com o título: “PASCALE MILLECAMPS, A MISSÃO INCLUSIVA DE UMA AZEITONENSE DE CORAÇÃO” agradecendo à nossa convidada, PASCALE MILLECAMPS, Coordenadora do Centro de Atendimento, Acompanhamento e Animação para Pessoas com Deficiência (CAAAPD)  da Casa João Cidade em Montemor-o-Novo, o “tempo inclusivo” que nos dispensou….vamos então conhecer “PASCALE MILLECAMPS, A MISSÃO INCLUSIVA DE UMA AZEITONENSE DE CORAÇÃO?”  Aqui fica a entrevista, na íntegra:

“PASCALE MILLECAMPS, A MISSÃO INCLUSIVA DE UMA AZEITONENSE DE CORAÇÃO

A MISSÃO INCLUSIVA DE UMA AZEITONENSE DE CORAÇÃO, Pascale é uma mulher loira que usa óculos, e que, na imagem surge acompanhada por dois amigos vestindo uma blusa azul e umas calças de ganga azuis

A MISSÃO INCLUSIVA DE UMA AZEITONENSE DE CORAÇÃO, Pascale é uma mulher loira que usa óculos, e que, na imagem surge acompanhada por dois amigos vestindo uma blusa azul e umas calças de ganga azuis

É com prazer, que partilhamos com todos os nossos leitores o número 18, da rubrica “AZEITAO INCLUSIVO” Neste número temos o grato prazer de receber PASCALE MILLECAMPS, Belga, de 52 anos de idade, assistente social de profissão que, atualmente exerce a sua atividade, na Casa João Cidade IPSS, em Montemor-o-Novo, onde trabalha no Centro de Atendimento a Cidadãos com Deficiência e onde, tal como nos diz: “pretendemos continuar a abrir a comunidade às pessoas com deficiência, como pessoas e não necessariamente como utentes ou clientes de uma instituição”. Conheça toda a atividade da IPSS Casa João Cidade em: http://casajoaocidade.pt/ .

Pascale é uma azeitonense de coração, viveu durante algum tempo em Azeitão e parte do seu coração, cá ficou. Tal como nos diz::“ quando me casei, encontrei em Azeitão um local propício para instalar a minha família.(…) Recordo, acima de tudo as pessoas, ainda hoje tenho aqui amigas muito queridas (…),sou apaixonada pela baía de Setúbal e pela Serra da Arrábida”.

Durante toda a conversa informal, Pascale mostrou-se uma mulher consciente das dificuldades de vária ordem porque passam as pessoas com deficiência e afirmando convictamente a necessidade de serem criadas respostas inclusivas na comunidade que real e plenamente forneçam a este cidadãos, a hipótese de potenciarem as suas capacidades e criarem o seu próprio caminho de realização pessoal, profissional e social…(existem bons exemplos de que isto é possível),de forma serena e esclarecida, refere:” a família é a base, se esta não acreditar, vai ser muito difícil, é essencial que haja nas famílias a “noção” da inclusão (…)muitas vezes isto não acontece devido às barreiras que as mesmas encontram, sejam elas físicas ou atitudinais”. A “escola verdadeiramente inclusiva” tem para Pascale um papel muito importante, dando um exemplo, refere:” Quando a minha filha estava no 5ºano, por proposta minha, fizemos na escola uma peça de teatro (o normal é ser diferente), onde nenhum dos meninos e meninas da turma tinha deficiência, mas mostramos que cada um era diferente, com as suas características próprias”. O facto de eventualmente ser portador de uma qualquer deficiência é apenas uma das características de um qualquer ser humano.

Todos nós gostaríamos de ter o poder de alterar uma determinada realidade para melhor, a “varinha mágica” de Pascale atuaria ao nível de alteração de valores sociais vigentes:” gostava que as pessoas acreditassem que o ser é mais importante do que o ter!” Pascale não consegue trabalhar se não estiver apaixonada pelo que faz”.

Conheça, em pormenor, todos os números, já publicados, na rubrica “AZEITÃO INCLUSIVO”

Conheça melhor a Casa João Cidade.

Marca “Pedro Dias – Uma Vida,Um Projecto!”

10 de Outubro de 2017

Conteúdo Relacionado

Print Friendly, PDF & Email
Partilhe nas Suas Redes Sociais Favoritas:

Link permanente para este artigo: http://www.pedrocvdias.pt/azeitao-inclusivo18/