JavaScript must be enabled in order for you to see "WP Copy Data Protect" effect. However, it seems JavaScript is either disabled or not supported by your browser. To see full result of "WP Copy Data Protector", enable JavaScript by changing your browser options, then try again.

«

»

Jul 08 2016

Imprimir Artigo

Azeitão Inclusivo nº3 – VAMOS FALAR DE INCLUSÃO

Azeitao_Inclusivo Logo

Caros(as) Amigos(as),

Divulgamos aqui o número 3 da rubrica “AZEITÃO INCLUSIVO” , publicado na edição impressa do Jornal de Azeitão de Julho de 2016, com o título “VAMOS FALAR DE INCLUSÃO” agradecendo à nossa convidada Dra. Ana Machete, o “tempo inclusivo” que nos dispensou….vamos então falar de inclusão? Aqui fica a entrevista, na íntegra:

“VAMOS FALAR DE INCLUSÃO

Azeitão Inclusivo nº3 - "Vamos Falar de Inclusão" relativa à edição de Agosto de 2016

Azeitão Inclusivo nº3 – “Vamos Falar de Inclusão” relativa à edição de Julho de 2016

O Jornal de Azeitão partilha com todos os seus leitores o nº 3 do “AZEITÃO INCLUSIVO”, reforçando o convite para a participação de todos nesta rúbrica. O e-mail azeitaoinclusivo( @ sign)pedrocvdias.pt está a vossa disposição para receber as vossas questões e sugestões. Queremos também, agradecer as mensagens positivas que os nossos leitores nos fazem chegar, prometendo a todos uma resposta breve.

Nesta edição temos, como convidada Ana Machete, uma setubalense de 60 anos, residente em Azeitão, com formação em Psicologia da Educação, que ao longo de toda a sua vida sempre tentou manter uma atitude inclusiva para com os seus pares.

No final da sua formação académica para psicóloga, em fins da década de 70 do século XX, Ana fez um estágio curricular de 3 meses na Associação Portuguesa de Pais e Amigos do Cidadão Deficiente Mental de Setúbal (APPACDM), onde trabalhou com adolescentes portadores de deficiência(s). Ana recorda com saudade esse tempo, qualificando-o como “uma experiência muito marcante para a minha vida”, mencionando o “ sentimento de grande ternura e de uma grande admiração por eles, porque sendo diferentes esforçam-se por fazer tudo o que lhes é pedido e quando conseguem, têm uma alegria tão grande, que contagiam e comovem toda a gente”. Quando questionada sobre as preocupações destes jovens quanto ao futuro, Ana refere: ”eles ainda não tinham grandes preocupações (…) sentia maior preocupação da parte de quem trabalhava com eles. Os profissionais empenhavam-se muito em prepará-los para o futuro, ensinando-lhes as atividades da vida diária, no sentido os tornar o mais autónomos e independentes possível”.

Ana, vê a temática da inclusão da pessoa com deficiência na sociedade como um processo de “abertura de portas”, englobando a sociedade civil e as pessoas com deficiência de forma distinta, tal com refere Ana: “uns abrindo portas e outros fazendo o possível por entrar por essas portas”. Segundo Ana, o maior tabu da inclusão é a diferença. Tal como afirma: “as pessoas rejeitam a diferença, ninguém gosta de pessoas diferentes (seja qual for a diferença de que estejamos a falar), é fundamental que as pessoas percebam que os deficientes são diferentes, mas só em algumas coisas, há que que tentar potenciar as qualidades e minorar as diferenças, para que possamos encontrar o equilíbrio e sermos todos felizes, neste mundo que é de todos nós”.

Ana já se encontra aposentada, metade da sua vida profissional decorreu no Serviço de Pessoal do Hospital Ortopédico Sant’lago do Outão. Relembrando o ambiente inclusivo que se vivia naquela unidade hospitalar, Ana refere que: “os trabalhadores do Outão que conheci eram grandes profissionais, pessoas com grande coração e com grande disponibilidade, eram pessoas especiais.” Ana, recorda com admiração a cumplicidade e o “amor” que se estabelecia entre os profissionais e os doentes e a satisfação com que estes profissionais viviam as vitórias, daqueles que muitas vezes eram os “seus meninos(as)”.

Depois de aposentada, Ana encontrou uma nova paixão, a Universidade Sénior de Azeitão, de que é presidente da Direção e onde tenta que todos sintam que fazem parte da mesma “família”. “Para incluir, cada um deve fazer a sua parte, mesmo que pequena, porque é do somatório e da conjugação de pequenos esforços que se alcançam grandes resultados. Juntos podemos ir mais longe”.

Pedro Dias

azeitaoinclusivo( @ sign)pedrocvdias.pt

Juntos somos mais pela inclusão da pessoa com deficiência!!

Conheça, em pormenor, todos os números, já publicados, na rubrica “AZEITÃO INCLUSIVO” .

Marca “Pedro Dias –Uma Vida ,Um Projecto!”

08 de Julho de 2016

Conteúdo Relacionado

Print Friendly, PDF & Email
Partilhe nas Suas Redes Sociais Favoritas:

Link permanente para este artigo: http://www.pedrocvdias.pt/azeitao_inclusivo_3/