JavaScript must be enabled in order for you to see "WP Copy Data Protect" effect. However, it seems JavaScript is either disabled or not supported by your browser. To see full result of "WP Copy Data Protector", enable JavaScript by changing your browser options, then try again.

«

»

Jan 11 2017

Imprimir Artigo

Entrevista ao Jornal “O Setubalense”-28/12/2016

Divulgamos aqui a entrevista que, o gestor da Marca “Pedro Dias – Uma Vida, Um Projeto!” deu ao Jornal “O Setubalense” e que foi publicada no dia 28/12/2016. Aqui fica o artigo, completo:

Na Imagem podemos ver a publicação da entrevista, no jornal "O Setubalense", dia 28/12/2016

Na Imagem podemos ver a publicação da entrevista, no jornal “O Setubalense”, dia 28/12/2016

“O Setubalense

 – Como surgiu a ideia de criar este projecto?

Pedro Dias

 – A marca surgiu em 2014 e ganhou uma menção honrosa de empreendedorismo no concurso “Poliempreende”, na edição regional de Setúbal, pela sensibilização feita nas escolas e dos projectos de consultadoria para as instituições locais e regionais. A ideia deste projecto foi juntar tudo aquilo que já fiz na vida. Licenciei-me há sete anos em Gestão de Sistemas de Informação no Instituto Politécnico de Setúbal e desde aí sempre trabalhei na área das acessibilidades de formas diferentes, em empresas e instituições sociais, onde desenvolvi projectos de inclusão na área da deficiência, alguns deles premiados.

Participei num programa de rádio com grande sucesso, sempre com esta temática.

Devido à sua condição, especializou-se muito cedo nesta área?

Desde os 14 anos que faço sensibilização nas escolas, tendo já realizado cerca de 260 palestras para uma audiência de 5 mil pessoas por todo o país. Se tivesse patrocínios teria atingido o duplo ou triplo porque as escolas e as instituições interessam-se muito.

Quando começou esta temática era abordada de forma muito diferente?

Sim. A sociedade civil tem um papel criativo de fomentar a igualdade de oportunidades. Se a própria pessoa com deficiência e a sua família não quiserem integrar-se na sociedade não há ninguém que faça nada por elas. Ora a sociedade civil só vai mudar a percepção que tem sobre a deficiência quando as pessoas com deficiência entenderem que esta situação é um problema seu e da sua família e que, acima de tudo, têm de dar à sociedade uma visão baseada nas suas qualidades e capacidades e não nas suas dificuldades,  ou seja, não têm de mostrar a imagem do coitadinho.

Combate muito esse conceito?

Sim, porque as pessoas com deficiência têm de dar um exemplo positivo à sociedade e só quando isso acontecer é que a mentalidade da sociedade e das empresas vai começar a mudar. Não há nenhuma empresa que contrate alguém improdutivo e inútil. Alguns deficientes defendem que só têm direitos e não deveres. Ora, eu defendo que têm direitos mas também muitos deveres. O objectivo da marca “Pedro Dias, uma vida, um projecto” é fo-mentar na sociedade civil uma atitude positiva e mais aberta mas também nas pessoas com deficiência e suas famílias a noção de que têm muitos mais deveres do que direitos e que deficiência é um problema deles.

Na parte profissional, considera que existem mais oportunidades?

Algumas empresas têm programas de inclusão de pessoas com deficiências mas depois não há candidatos com determinado nível de qualificação e as vagas não são preenchidas. Em Portugal existe um milhão de pessoas com deficiência,  10 por cento da população. Como é que somente 2 por cento frequenta o ensino superior e não  se sabe quantas acabaram os cursos? Mais grave, 77 por cento não sabe ler nem escrever.

Como é que podemos exigir alguma coisa com níveis de não qualificados tão grandes?

Grande parte fica dependente de  subsídios. Há muita gente que não gosta que eu diga isto.

E o futuro?

O meu objectivo é que a marca, embora seja social, seja sustentável a nível financeiro, que é neste momento o meu único trabalho. Para isso tenho de dinamizar os vários serviços inclusivos prestados pela marca em três áreas: a sensibilização junto das escolas, empresas e instituições; consultadoria inclusiva para as instituições, empresas e entidades públicas na parte informática, criação de sites e de projectos para obtenção de financiamento e formação; área audiovisual com formato de programa de rádio e de televisão. Vamos vivendo um dia de cada vez, sempre a acreditar que o amanhã é melhor e que estou a cumprir a missão de vida que tenho.”

Juntos Somos Mais Pela Inclusão da Pessoa com deficiência!!

Marca “Pedro Dias – Uma Vida, Um Projecto!”

11 de Janeiro de 2017

Conteúdo Relacionado

Print Friendly, PDF & Email
Partilhe nas Suas Redes Sociais Favoritas:

Link permanente para este artigo: http://www.pedrocvdias.pt/entrevista-ao-jornal-o-setubalense-28122016/