JavaScript must be enabled in order for you to see "WP Copy Data Protect" effect. However, it seems JavaScript is either disabled or not supported by your browser. To see full result of "WP Copy Data Protector", enable JavaScript by changing your browser options, then try again.

«

»

Abr 09 2016

Imprimir Artigo

Entrevista ao Jornal de Azeitão – Abril de 2016

A Marca “Pedro Dias – Uma Vida, Um Projecto!” divulga a entrevista que o seu gestor, Pedro Dias deu recentemente ao “Jornal de Azeitão”. A entrevista teve como motes, o percurso de vida de Pedro Dias, os objetivos da Marca “Pedro Dias – Uma Vida, Um Projecto!” e a colaboração entre a Marca “Pedro Dias – Uma Vida, Um Projecto!” e o Jornal de Azeitão, que em parceria vão levar até vós a rúbrica  com o titulo “AZEITÃO INCLUSIVO”, já a partir do mês de Maio.

Aqui fica o texto da entrevista, na integra: 

ent_Pedro_Dias_JA“O Jornal de Azeitão tem o privilégio de partilhar com os seus leitores, a história do jovem Pedro Dias, um filho de azeitão a quem a limita­ção motora não impede de ter muita iniciativa e energia para organizar a sua vida, sob o lema de “não esperar que façam por ele.”

Pedro Dias de 30 anos de idade e morador em Vila Nogueira, é licenciado pelo Instituto Politécnico de Se­túbal em Sistemas de Gestão da Informação, (especialista em informática) e criou re­centemente a marca “Pedro Dias Uma Vida, Um Projecto”. Este projecto de vida preten­de sensibilizar e prestar ser­viços profissionais especia­lizados naquilo que designa por “consultadoria Inclusiva” englobando a sensibilização para a situação da pessoa com deficiéncia, através de palestras (em escolas, em­presas, etc;) e através da co­municação social, conjugan­do essa ação com a prestação de serviços de consultadoria, sobre sistemas de apoio à pessoa deficiente (acessibi­lidades, serviços orientados para clientes com deficiência etc).

Além de já ter colaborado com algumas institui­ções na área da informática e como formador em Setúbal e no Pinhal Novo, dedica-se a proferir palestras em esco­las, empresas e instituições, contando já com cerca de 250 palestras, abrangendo cerca de 5000 pessoas, a quem mostrou as capacida­des e as oportunidades queas pessoas deficientes têm para trabalhar e desenvolver uma vida pessoal e familiar normal, afastando o precon­ceito que o senso comum e as entidades empregadoras têm habitualmente.

Relativamente à ativida­de profissional, Pedro anseia poder desenvolver uma ati­vidade útil quer às empre­sas quer aos clientes (uti­lizadores), por exemplo no âmbito daquilo que designa por “soluções inclusivas de base tecnológica” facilitado­res da vida do cidadão com limitações motoras e outras, que podem ser muito interes­santes para as empresas. Tal como Pedro Dias destaca, em Portugal cerca de um milhão de pessoas (aproximadamente 10 fé da população) são cidadãos com deficiência ou com incapacidade permanen­te, para os quais não existem serviços adaptados, situação que pode ser uma oportuni­dade interessante para mui­tas empresas.

Sobre a pessoa com deficiência e as instituições acolhedoras, Pedro propõe uma atitude diferente do habitual, defendendo que também pre­cisam de ser mais inclusivas e proactivas, no sentido da sua integração no modo de vida d ito normal. A deficiência nas suas diversas tipologias é um problema complexo, mas muitas vezes a família e a atitud e do próprio não ajudam a fomen­tar uma cultura mais inclusi­va, perante a sociedade que apesar de estar mais sensível, também não ajuda ao encarar a pessoa deficiente como um “coitadinho”.

Neste âmbito, Pedro Dias irá colaborar com o Jornal de Azeitão com uma rúbrica regular com o titulo “AZEITÃO INCLUSIVO” através da qual pretende mostrar à co­munidade a possibilidade de ser um “agente de mudança” proactivo, fomentando uma atitude inclusiva, quer por parte da comunidade e dos poderes locais, quer pelas pessoas com limitações.

Embora revele sempre uma atitude muito optimista, de estar bem com a sua vida, sem se lamentar de nada, Pe­dro recorda as dificuldades que teve no inicio da vida es­colar, em que teve que ir para uma escola na Maçã (Con­celho de Sesimbra) porque a escola em Azeitão não o po­der receber, até à dificuldade de ter uma vida profissional como gostaria de ter com autonomia económica, referin­do que nunca pensou viver da pensão que o Estado lhe da­ria para viver passivamente.”

Sem dúvida que, juntos somos mais pela inclusão da pessoa com deficiência!!!!

A marca “Pedro Dias – Uma Vida, Um Projecto!”

09 de Abril de 2016

Conteúdo Relacionado

Print Friendly, PDF & Email
Partilhe nas Suas Redes Sociais Favoritas:

Link permanente para este artigo: http://www.pedrocvdias.pt/entrevista-jornal-de-azeitao/